quarta-feira, 24 de junho de 2009

Ser ou não ser, eis a questão...





Ser ou não ser, eis a questão...


Como eu e a Safa estavamos conversando sobre virgindade, resolvemos fazer um post sobre o assunto.

Em pleno século XXI, a virgindade ainda é um tabu, ainda é questão de pauta de muitas revistas e de muita discriminação. Muitas garotas não se sentem a vontade de dizerem pra família que não são mais virgens, isso porque até hoje existe o preconceito de que a mulher que não se preservou "pura" é vista com maus olhos pela sociedade. Isso pra mim é vergonhoso, seu caráter não vai mudar porque você sedeu ao desejo, à atração, é apenas a ordem natural da vida.

Perder a virgindade e ou assumi-la não é um bicho de sete cabeças, apenas o assunto tem que ser tratado de maneira natural. Respeito quem tem o ideal de se preservar, seja até conhecer alguém com quem se sinta a vontade para praticar o sexo, ou até mesmo o casamento. O que eu não concordo é com essa mentalidade retrô de que mulher que perde a virgindade antes do casamento se torna mal vista e muito menos concordante com a idéia de que várias meninas tiveram sua primeira vez preciptada por pressão de amigas ou namorados.

Não existe idade certa e nem receita de como se perder a virgindade, tudo tem o seu tempo. Isso vai de cada um, de cada consciênte. Eu por exemplo, só fui perder a minha aos 19 anos, tarde para média, porem pra mim foi na hora certa, mas foi com alguém com quem eu achava que valesse a pena, tive o pleno apoio da minha mãe, que sempre conversou comigo se eu saberia me previnir de DST's, de uma gravidez.

Já vou logo dizendo: sexo é bom sim, ainda mais se feito com amor... mas o importante mesmo é você ter certeza de que está pronta e saber se previnir, escolher um companheiro confiável, usar preservativo e ser feliz! rs... Hoje em dia(pelo menos para as pessoas que eu convivo) perder a virgindade é uma coisa natural da vida de qualquer ser humano. Além do mais o corpo é seu(isso para as pessoas maiores de idade...rs) a consiência é sua! Abaixo ao preconceito, ao pensamento retrô... já não há mais espaço pra esse tipo de coisa! Quer dar, dê, mas com responsabilidade! Quer se preservar, se preserve, mas por você e não por achar que se rolar alguma coisa vão falar mal de você.

O mundo é livre, seja livre para ter sua própria opnião e vontade!

Beijinhos molhadinhos como sempre da..

*Fada*

7 comentários:

Jota disse...

Hoje em dia estou vendo um pouco diferente. As meninas que são virgens sentem vergonha de falar, e eu não entendo o motivo.

Concordo contigo: tem que ser o momento certo (em que estiver preparada, senão...)



Beijos
Jota.

Afrodite disse...

Sou suspeita pra falar pq perdi a minha por pura curiosidade.
Mas aconselho minha filha a só fazê-lo com responsabilidade(independente de estar amando ou não).
Bacana o teu post!
Bjos!

Malaguetta disse...

assumi pra familia inteira quando perdi
quase fui apredejada,mas isso foi a 5 anos

Loira e Morena disse...

Cada uma tem o seu momento, se quer dar, pode dá mas com responsabiliadade e se nao quer, cá entre nós, nao sabe oq esta perdendo, mas acho q deve ser respeitada..rs

Beijaooo da Morena!

Rafhitch disse...

Olha Fada, é comum encontrar por aí pessoas que ainda são virgem por que a religião condena quem faz sexo antes do casamento ou por que os pais controlam demais.

Mas, concordo com você quando diz que a sua consciência é o seu guia e só você sabe o que é melhor para ti.

Portanto, se a mulher quiser perder a virgindade dela antes do casamento é um direito dela e sociedade nenhuma pode impor o contrário.

Abração e belo post!

Quem é tua Dona? disse...

É, eu tbm perdi a minha aos 19, quis respeitar meu corpo e me entregar a alguém que realmente me deixasse segura, ou seja, meu primeiro namoradinho sério (que meigo!). Essa história de que mulher perder a virgindade é feio e não sei o que, é papo de tia mal-comida.. ;P

ADOREI o blog e volarei mais vezes!

Beijos,
Anita.

Katy disse...

Hmm...pra mim, o momento certo, foi com o primeiro cara que achei confiável e apto para a "função" e que também me achou bacaninha...e foi tudo de bom!
Depois ele se tornou meu marido...rsrs...vai entender, não era essa a minha inteção...